Os benefícios do Óleo de Coco – Entrevista com Nutricionista

O Óleo de Coco é um suplemento que está sendo muito consumido no Brasil. Mas será que ele realmente é bom? Nós fizemos algumas perguntas sobre ele para a nutricionista especialista em Nutrição Clínica, Gisele Beal. Veja abaixo a entrevista.

1 – O que é Óleo de Coco?
É um óleo de origem vegetal rico em vitamina E e ácidos graxos essenciais como o ômega 9, ácido láurico e cáprico.

2 – Qual a função do Óleo de Coco no organismo?
O óleo de coco possui diversas funções, atualmente a termogênese é a mais comentada, no entanto não se pode deixar de lado o restante. Tentei escrever abaixo cada uma delas para melhor lhe ajudar:

Termogênico: Os Triglicerídeos de Cadeia Média (TCM) proporcionam melhor metabolização da gordura corporal e colesterol, por terem absorção facilitada, ou seja, a energia proveniente deste óleo ativa o metabolismo e não é estocada. O ácido láurico também possui efeito termogênico, pois acelera o metabolismo, e aumenta a sensação de saciedade, contribuindo para o menor ganho de peso. Estudos apontam que o óleo de coco, ainda tem a capacidade de reduzir os níveis de LDL, balancear os níveis do bom colesterol no sangue (HDL) por apresentar fácil metabolização e baixa capacidade de oxidação.

Redutor de gordura abdominal: Seus ativos ricos em ômega 9 – ácido graxo oleico (o mesmo encontrado no azeite de oliva e no abacate) diminuem a produção de cortisol, uns dos hormônios responsáveis pelos estoques de gordura nessa região.

Antibacteriano: O ácido láurico, ácido graxo de cadeia média que se transforma em monolaurina (também encontrada no leite materno), exerce forte ação antibacteriana, antiviral e antiprotozoária, combatendo vários micro-organismos maléficos ao ser humando, como Cândida albicans, Citomegalovirus, Clamídia, Estreptococos, Giárdia, Helicobacter pylori, Herpes.

Antimicrobiano e antiviral: O ácido cáprico se transforma em monocaprina, um composto com propriedades antimicrobianas e antivirais que combatem várias recorrências de candidíase, infecção urinária e micose na pele.

Laxante: dependendo da dosagem utilizada tem poder lubrificante e melhora a função intestinal.

Óleo de Coco

3 – Você costuma receitar Óleo de Coco aos pacientes? Se sim, quais os resultados obtidos?
Sim. Para os benefícios da termogênese, prefiro a utilização do óleo in natura às capsulas, em função de a maioria dos estudos mostrarem resultados satisfatórios com 15-20g do alimento ao dia. Cada capsula possui 1g do óleo, então seria inviável a manutenção da conduta à longo prazo. Tenho observado bons resultados na perda de peso com o consumo de 1 colher de sobremesa do óleo + 1 fonte de carboidrato 30 minutos antes do exercício e 1 colher de sobremesa do óleo 30 minutos após do exercício. Para os demais benefícios comentados acima, a dosagem pode ser inferior ou superior, dependendo dos objetivos e a qualidade total da alimentação do indivíduo.

4 – O Óleo de Coco pode causar taquicardia por ser um termogênico?
Não, pois os fundamentos da termogênese se devem a forma de absorção e utilização, não estando relacionados ao ritmo cardíaco.

5 – Qualquer pessoa que queira emagrecer pode tomar Óleo de Coco ou há alguma contra-indicação?
Indico sempre a orientação de um profissional nutricionista, pois ele é o único que poderá avaliar as suas reais necessidades. Mesmo sendo um alimento, dependendo da quantidade de óleo de coco utilizada, pode provocar alterações no perfil lipídico, gerando efeito contrário, ou seja, o ganho de peso.

Gisele Beal Nutricionista

Sobre a Nutricionista: Gisele Beal é Nutricionista graduada pela Unisinos (2008) e especialista em Nutrição Clinica com “ênfase no adulto” pela mesma instituição (2011). Atualmente atende em consultório particular e Coordena o Serviço de Nutrição e Dietética do Hospital Beneficente São Pedro – Garibaldi/RS.
E-Mail: giselebeal@gmail.com

3 thoughts on “Os benefícios do Óleo de Coco – Entrevista com Nutricionista

  1. Realmente o óleo de coco tem muitos benefícios para saúde.Eu utilizo óleo de coco a alguns anos, logico que de forma moderada e na quantidade correta permitida para ingerir. Super importante antes de consumir é procurar um nutricionista e saber se você pode consumir essa gordura normalmente para que não piorar algum tipo de problema que a pessoa já tenha, alguma alergia ou problema no figado. Parabéns pelo ótimo conteúdo e esclarecedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*