Tipos de alimentação: Vegano (o que é, alimentos permitidos)

O estilo de vida vegano vem crescendo bastante nos últimos anos. Apesar do consumo de alimentos e de outros produtos de origem animal ainda dominarem, a consciência que o veganismo é a melhor alternativa para se alimentar e viver já foi plantada.

A principal diferença entre o vegano para os vegetarianos, é que os primeiros excluem todo tipo de alimento e tudo o que submete os animais aos maus tratos, exploração ou confinamento.

Isso inclui roupas, sapatos e bolsas de couro, produtos com lã ou seda, itens de higiene e cosméticos testados em animais e até mesmo entretenimento, como circo, zoológico e outras exposições com o mesmo caráter.

Já os vegetarianos aplicam as mudanças apenas na dieta. Eles deixam de ingerir alimentos de origem animal, como carne, leite, ovos e mel, mas continuam usando outros produtos que são produzidos em base de testes em animais, vindos de animais (couro, lã) e indo a exposições.

Por isso, é importante perceber que todo vegano é vegetariano, mas nem todo vegetariano é vegano. Entender essa diferença já é o bastante para esclarecer muito sobre as dietas e os estilos alternativos.

Novos adeptos a esse estilo de vida (vegano) podem se sentir perdidos no início da transição. Mas, a principal dúvida ainda é relacionada à alimentação.

Afinal, o que é alimentação vegana? Quais os alimentos proibidos e permitidos? Como substituir esses alimentos?

Para obter as respostas para essas questões, continue a leitura dos próximos tópicos!

O que é alimentação vegana?

A dieta vegana é baseada na ingestão de alimentos de origem vegetal, que inclui todos os tipos de grãos, leguminosas (ervilhas, feijões, lentilhas, etc.), legumes, verduras e frutas.

Além de toda essa infinidade de alimentos oferecidos pela natureza, o mercado procura trazer sempre mais opções de alimentos para substituir as proteínas animais.

O queijo tradicional, por exemplo, já conta com versões veganas. O hambúrguer de carne de soja, como é conhecido popularmente, substitui a versão bovina e pode ser usado em sanduíches e diversas outras receitas.

Entre os tipos de alimentação, o vegano é o mais indicado de acordo com estudos científicos que vêm sendo realizados.

Segundo um estudo conduzido por especialistas em estudos nutricionais na Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, a substituição do consumo de proteína animal pelas fontes de proteína vegetal, como feijões, tofu e entre outros, foi associada à menor mortalidade, principalmente por problemas cardiovasculares.

Quais os alimentos deixados de fora da dieta vegana?

Além das carnes, ovos, leites e derivados (iogurtes, queijos, etc.) e mel, os vegetarianos estritos também não consomem qualquer produto que contenha ingredientes, insumos e aditivos de origem animal.

A gelatina, por exemplo, feita de tendões e cartilagens, não é consumida por pessoas veganas. Vitaminas, como a vitamina D3 (obtida a partir da cera de lã de ovelha ou do óleo de peixe), vitamina A (de origem animal: retinol) e o ômega 3 (quando extraído do óleo de peixe), também não são consumidos por veganos ou vegetarianos estritos.

Quando necessária a suplementação com essas vitaminas, o ideal é buscar pelas alternativas vegetais. A vitamina D2 substitui a D3, os carotenos (provitamina A) substitui a vitamina A e o ômega 3 de origem vegetal pode ser consumido no lugar do ômega 3 provindo do óleo de peixe.

– Ingredientes de origem animal comuns em industrializados

Alguns alimentos, principalmente os industrializados, como alguns pãezinhos, biscoitos, salgadinhos e entre outros, podem levar certos ingredientes de origem animal.

Por essa razão, checar os rótulos dos produtos antes de levar para casa é fundamental para uma pessoa vegana, mesmo que no início seja cansativa a ideia de ler embalagem por embalagem.

Normalmente, em uma simples lida no rótulo, podem ser notados os ingredientes de origem animal mais óbvios facilmente, como gema de ovo, soro de leite, leite em pó, caldo de carne e entre outros.

No entanto, alguns produtos podem citar ingredientes de uma forma “escondida”, como gelatina, albumina (produzido da clara de ovos), caseína (um tipo de proteína do leite) e muito mais.

Para fugir dessas emboscadas, abaixo está reunido para você os principais ingredientes de origem animal contidos nos industrializados.

Vale lembrar que vários desses ingredientes também possuem versões vegetais, por isso confira se existe a indicação de que são de origem vegetal.

  • Albumina: pode ser vegana, mas geralmente é albumina do ovo.
  • Aroma natural: pode ser qualquer coisa, incluindo subprodutos da carne.
  • Ácido carmínico (carmim): usado como corante, é extraído de insetos esmagados.
  • Caseína: derivado do leite animal
  • Lactose: derivado do leite animal
  • Soro do leite: derivado do leite animal.
  • Glicerina: pode ser de origem vegetal, mas geralmente é produzida a partir da gordura animal.
  • Lecitina: se for vegano, estará escrito como “lecitina de soja”.

Nos demais ingredientes, quando houver dúvidas se eles são de origem vegetal ou animal, você pode procurar na internet mais informações sobre o produto em questão, ou enviar um e-mail para o próprio fabricante.

Quais os alimentos permitidos para os veganos?

O principal benefício do veganismo é que o mesmo abre um universo de novas possibilidades quando o assunto é comida.

Não é novidade escutarmos que vegetarianos e veganos só comem saladas e soja. A verdade é que não é assim!

Embora a salada realmente deva estar no prato dos vegetarianos e de qualquer outra pessoa que siga outras dietas, elas não são as únicas opções para quem não consome carne.

Além das folhas verdes escuras, as refeições podem ser montadas com cereais (arroz, quinoa, etc.), leguminosas (feijões, lentilhas, grão-de-bico, etc.) e frutas.

Para substituir alguns alimentos que “fazem falta” em uma dieta vegana, como os ovos, a manteiga e o leite, as versões vegetais são excelentes opções.

Para os ovos, se o objetivo for dar liga, a linhaça ou a lecitina de soja cumprem bem o papel. Para imitar ovos mexidos, tente experimentar tofu mexido.

No caso da manteiga, você pode tentar fazer a “manteiga” de milho ou substituí-la por geleias de frutas caseiras ou creme de amendoim para passar em torradas ou no pão.

Já o leite pode ser encontrado nas versões vegetais, produzidos da soja, aveia, amêndoas, coco e entre outros.

Benefícios da alimentação vegana

Mesmo que no início seja complicado deixar de comer diversos alimentos, a consciência limpa de não contribuir com a exploração animal é o principal motivo que mantém os adeptos no novo estilo de vida.

Além disso, alguns efeitos na saúde podem ser obtidos através de uma dieta vegetariana, que são:

  • Emagrecimento
  • Prevenção de doenças crônicas (obesidade, colesterol, hipertensão, diabetes)
  • Evita doenças degenerativas
  • Melhora o sistema digestivo
  • Aumenta a ingestão de vitaminas e minerais

Agora que você conheceu um pouco mais sobre o tipo de alimentação vegano, nos conte a sua experiência com o estilo de vida ou como caminha a sua transição para o veganismo. Aproveite e compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*